domingo, 30 de agosto de 2015

Grande movimento empolga expositores no primeiro domingo da Expointer


Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte
Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte - Foto: Vilmar da Rosa/Agência Preview
Um domingo ensolarado, de temperatura agradável, levou milhares de pessoas à 38ª Expointer, no Parque Assis Brasil, em Esteio. O tempo bom empolgou os expositores e lotou os estacionamentos. Corredores cheios, famílias inteiras passeando, restaurantes e pavilhões movimentados foram a marca deste primeiro fim de semana de feira. A beleza dos animais encantou as crianças, presentes em grande número ao parque, e deixou pais, mães e familiares felizes. "Já estivemos aqui em outros anos, mas desta vez viemos para trazer o filho pela primeira vez", afirmou Altemir Silva, de Canoas, que estava acompanhado da esposa, Marla Bartz, e do pequeno Mateus, de três anos. Até mesmo a disparada inusitada de um Tabapuã junto ao Pavilhão dos Gado de Corte pode ser considarada uma atração para os visitantes.
No Pavilhão da Agricultura Familiar, um mosaico de sabores aguçava o paladar dos visitantes. Cucas, bolos, geleias, sucos, queijos, pães e salames provocavam o apetite dos frequentadores, agradando os produtores. Miriam Costa, de São Lourenço do Sul, veio a Esteio pela oitava vez para vender sucos, geléias e doces da Agroindústria Figueira do Prado e ficou impressionada com o movimento, que esgotou o seu estoque inicial de suco de bergamota. "Nestes anos todos que venho à Expointer, nunca tinha visto um movimento tão grande nos dois primeiros dias", comemorou. "Já tive que providenciar a reposição dos nossos produtos para a sequência da semana", completou a produtora. A empolgação de Miram Costa é respaldada pelos primeiros números divulgados em relaçâo às vendas do Pavilhão da Agricultura Familiar, que no primeiro dia teve um aumento de 37,5% em relação a 2014.
Nos outros pavilhões, também haviam expositores eufóricos com o movimento, com o empresário Rogério Ribeiro, de Tramandaí, que há dez anos instala uma unidade da sua "Querência das Cuias" na exposição de Esteio. "A Expointer vem crescendo a cada ano e aqui, até o momento, não se vê crise. O consumidor vem para comprar mesmo, pois está cada vez mais exigente e sabe da qualidade dos produtos aqui vendidos", afirmou o comerciante de cuias, mateiras, bombas e artesanatos em couro.
O garçom Alexandre Leal Pires, de Esteio, é outro satisfeito com o rendimento do primeiro final de semana. "Foi um domingo com muito movimento e filas nos horários de pico. É a quarta vez que trabalho aqui, passo o ano aguardando a Expointer e neste primeiro final de semana já valeu muito a pena", explicou o garçom, entre um atendimento e outro no agitado Boulevard.
Pela primeira vez na exposição, o auxiliar de capataz, José Carlos da Silva, de 30 anos, disse estar realizado. "Era um sonho vir à Expointer e é melhor do que eu esperava", falou sorridente o funcionário da Cabanha Santa Maria, de São Gabriel.
Texto: Ernani Campelo
Edição: Cristina Lac
Imprensa Expointer