terça-feira, 30 de agosto de 2016

NASCE O PRIMEIRO ANIMAL EM PLENA EXPOINTER 2016




Exemplar da raça Simental deu cria no fim da tarde desta segunda -
VILMAR DA ROSA/AGÊNCIA PREVIEW/DIVULGAÇÃO/JC

O primeiro nascimento de animal em Expointer ocorreu na noite dessa segunda-feira (29). Foi um terneiro da raça Simental Fleckvieh, da Fazenda Santa Terezinha, de Jaquirana, que acabou sendo batizado de FST Standart. O parto atraiu atenção do público que, apesar da chuva, circulava pelo Parque de Exposições Assis Brasil. 

EXPOINTER 2016: Varredores usam guarda-chuva para facilitar escoamento de água na Expointer

 



Varredora usa guarda-chuva para desobstruir bueiro e facilitar a saída da água na rua de parque em Esteio

PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
A chuva de segunda-feira (29) gerou alagamentos em diversas ruas de acesso a pavilhões do Parque de Exposições Assis Brasil, palco da Expointer, em Esteio, e mobilizou as equipes de limpeza nesta terça-feira (30), quarto dia de feira. As poças exigiram também maior cuidado dos pedestres, diante do risco de se molhar quando algum veículo passava.

As equipes de trabalho fizeram literalmente a varrição da água para os bueiros existentes ao longo das vias. No ponto mais central do parque, ao lado do pavilhão Internacional, onde fica o mega estande do Sebrae, chegou a ter sete varredores combatendo o alagamento, varrendo a água para pequenos bueiros da rede pluvial. Em alguns momentos, os trabalhadores usavam um guarda-chuva para desobstruir o pequeno canal de vazão.

As áreas próximas aos pavilhões Internacional e da Agricultura familiar registraram maior acúmulo de água que caiu de forma contínua durante a segunda-feira. A previsão do tempo indica que o mau tempo pode permanecer até a manhã desta quarta-feira (31). Nesta terça-feira (30), o sol voltou pela manhã, mesmo que a concentração de nuvens se mantenha.

Nesta terça-feira, as excursões de escolas continuaram no parque. O professor de uma turma da Escola Estadual Nanci Pansera, do bairro Guajuviras, em Canoas, Daniel Mendes diz que as visitas ocorrem todos os anos. São estudantes a partir da sexta série. Segundo Mendes, a atividade possibilita que muitos deles tenham pela primeira vez contato com os animais.

"Eles gostam de vir para conhecer os bichos e curtem bastante", reforça o professor de língua inglesa. Para organizar a volta, Mendes diz que o jeito é combinar um horário para todos se encontrarem no fim da visita. "Não tem como controlar", admite o professor. Mesmo com a chuva, a atividade não é cancelada. "Os alunos não aceitam, não tem jeito." Cada aluno paga R$ 8,00 pelo transporte, e o ingresso é de graça.

TOURO MAIS PESADO DA EXPOINTER É DE CACHOEIRA DO SUL


BRDE contrata mais de R$ 1,8 bilhão em novas operações no primeiro semestre

Odacir Klein entrega balanço do BRDE ao governador José Ivo Sartori
Odacir Klein entrega balanço do BRDE ao governador José Ivo Sartori - Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini
O BRDE apresentou o balanço do 1º semestre de 2016 nesta segunda-feira (29), na casa do banco na Expointer, no Parque Assis Brasil, em Esteio. O documento informa a contratação de R$ 1,84 bilhão em 4.451 novas operações de crédito destinadas a grandes e pequenos empreendedores de todos os setores da economia da Região Sul. Mesmo frente ao quadro econômico difícil, o montante significa o fomento de R$ 2,1 bilhões em investimentos. Após a apresentação, o diretor-presidente do BRDE, Odacir Klein, entregou uma cópia do balanço ao governador José Ivo Sartori.

"O terreno é pedregoso, mas o banco é um veículo bom", disse Odacir Klein ao ser recebido pelo governador na Casa Branca da Expointer, junto com o diretor Financeiro, Renato Vianna; o diretor de Planejamento, Luiz Corrêa Noronha; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Fábio Branco; e o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo.
BRDE apresenta balanço do 1º semestre de 2016
BRDE apresenta balanço do 1º semestre de 2016 - Foto: Itamar Aguiar/Agência Preview


Por não visar ao lucro, o desempenho positivo do BRDE no período elevou o patrimônio líquido de R$ 2,2 bilhões para R$ 2,4 bilhões, parcela que será alavancada em sete vezes para aumentar o limite de recursos para as operações do banco. O BRDE manteve a oferta de crédito para dar sustentação aos que, mesmo nesse cenário de dificuldades, investem, inovam, criam oportunidades, geram empregos e mantêm viva a atividade produtiva.

No primeiro semestre de 2016, o banco firmou 4.451 contratos de financiamentos totalizando R$ 1,84 bilhão, numa média de R$ 414 mil por operação. Desse montante, foram alocados R$ 518,7 milhões (28,14%) para agropecuária, R$ 358,1 milhões (19,43%) para indústria, R$ 397,1 milhões (21,53%) para infraestrutura e R$ 569,6 milhões (30,90%) para comércio e serviços (inclui projetos de armazenagem para cooperativas).

Sem descuidar dos pequenos investimentos, o banco financiou projetos de grande porte para geração de energia, para armazenagem de grãos e processamento de produtos agropecuários de cooperativas e de médio porte para tecnologia e inovação de empresas e de infraestrutura para municípios. Destaca-se que os recursos provêm, na quase totalidade, de fora da Região (BNDES/FINAME, FINEP, FGTS e FCO), e são aplicados na área de atuação do banco que são os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná e Mato Grosso do Sul.

Os financiamentos contratados no primeiro semestre, somados às disponibilidades dos empreendedores, permitirão concretizar investimentos da ordem de R$ 2,12 bilhões. Esse total significa a geração de mais de 19,2 mil empregos e o incremento da arrecadação de impostos estaduais na ordem de R$ 69,6 milhões, recursos esses para investimentos em benefício das comunidades da Região Sul.

No comparativo do balanço do primeiro semestre de 2015 para igual período deste ano de 2016, algumas das principais contas do BRDE mostram a seguinte evolução:
- Os ativos totais passaram de R$ 14,2 bilhões para R$ 15,5 bilhões, com um crescimento de R$ 1,3 bilhão (9,2%).
- O patrimônio líquido evoluiu de R$ 2,2 bilhões para R$ 2,4 bilhões, com crescimento superior a R$ 200 milhões (9,1 %).
- O saldo de operações de crédito cresceu de R$ 11,9 bilhões para R$ 12,8 bilhões, crescimento em torno de R$ 900 milhões (7,6%).
- O saldo se encontra distribuído em contratos com 34.725 clientes, na média de R$ 357 mil por cliente, que movimentam a economia local de 1.081 municípios onde o BRDE mantém atuação.

O banco firmou ainda contratos de reestruturação de dívidas da ordem de R$ 108,8 milhões com 94 clientes de diferentes portes, cujas atividades foram afetadas pela crise. Mesmo diante do cenário adverso, o banco alcançou um resultado positivo de R$ 77,6 milhões no semestre.

Desempenho no RS

No primeiro semestre de 2016, a agência do BRDE no Rio Grande do Sul firmou 1.067 contratos no total de R$ 704 milhões em investimentos, numa média de R$ 659 mil por operação. Por setores, do total foram destinados 14% para agropecuária, 28% para a indústria, 26% para infraestrutura e 32% para comércio.
Texto: Sylvia Blanco Bojunga/Ascom BRDE
Edição: Denise Camargo/Secom

domingo, 30 de agosto de 2015

Grande movimento empolga expositores no primeiro domingo da Expointer


Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte
Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte - Foto: Vilmar da Rosa/Agência Preview
Um domingo ensolarado, de temperatura agradável, levou milhares de pessoas à 38ª Expointer, no Parque Assis Brasil, em Esteio. O tempo bom empolgou os expositores e lotou os estacionamentos. Corredores cheios, famílias inteiras passeando, restaurantes e pavilhões movimentados foram a marca deste primeiro fim de semana de feira. A beleza dos animais encantou as crianças, presentes em grande número ao parque, e deixou pais, mães e familiares felizes. "Já estivemos aqui em outros anos, mas desta vez viemos para trazer o filho pela primeira vez", afirmou Altemir Silva, de Canoas, que estava acompanhado da esposa, Marla Bartz, e do pequeno Mateus, de três anos. Até mesmo a disparada inusitada de um Tabapuã junto ao Pavilhão dos Gado de Corte pode ser considarada uma atração para os visitantes.
No Pavilhão da Agricultura Familiar, um mosaico de sabores aguçava o paladar dos visitantes. Cucas, bolos, geleias, sucos, queijos, pães e salames provocavam o apetite dos frequentadores, agradando os produtores. Miriam Costa, de São Lourenço do Sul, veio a Esteio pela oitava vez para vender sucos, geléias e doces da Agroindústria Figueira do Prado e ficou impressionada com o movimento, que esgotou o seu estoque inicial de suco de bergamota. "Nestes anos todos que venho à Expointer, nunca tinha visto um movimento tão grande nos dois primeiros dias", comemorou. "Já tive que providenciar a reposição dos nossos produtos para a sequência da semana", completou a produtora. A empolgação de Miram Costa é respaldada pelos primeiros números divulgados em relaçâo às vendas do Pavilhão da Agricultura Familiar, que no primeiro dia teve um aumento de 37,5% em relação a 2014.
Nos outros pavilhões, também haviam expositores eufóricos com o movimento, com o empresário Rogério Ribeiro, de Tramandaí, que há dez anos instala uma unidade da sua "Querência das Cuias" na exposição de Esteio. "A Expointer vem crescendo a cada ano e aqui, até o momento, não se vê crise. O consumidor vem para comprar mesmo, pois está cada vez mais exigente e sabe da qualidade dos produtos aqui vendidos", afirmou o comerciante de cuias, mateiras, bombas e artesanatos em couro.
O garçom Alexandre Leal Pires, de Esteio, é outro satisfeito com o rendimento do primeiro final de semana. "Foi um domingo com muito movimento e filas nos horários de pico. É a quarta vez que trabalho aqui, passo o ano aguardando a Expointer e neste primeiro final de semana já valeu muito a pena", explicou o garçom, entre um atendimento e outro no agitado Boulevard.
Pela primeira vez na exposição, o auxiliar de capataz, José Carlos da Silva, de 30 anos, disse estar realizado. "Era um sonho vir à Expointer e é melhor do que eu esperava", falou sorridente o funcionário da Cabanha Santa Maria, de São Gabriel.
Texto: Ernani Campelo
Edição: Cristina Lac
Imprensa Expointer

Exposição e apresentação de cães movimentaram o domingo na Expointer

Este domingo (30) foi um dia de destaque para os cães na Expointer. A Federação Cinológica do Rio Grande do Sul, juntamente com os Departamentos das Raças Bulgogue Campeiro e Cimarón Uruguayo, realizou exposições e matchs para avaliar os caninos. A exposição especializada da Raça Cimarón Urugayo, em sua 16° edição, teve como árbitra oficial Clarice Oliveira e como grande campeão o cão Las Raices Tona. Já o 4° Match, com julgamento do criador da raça Gabriel Elissolde, apontou Las Raices Asencio como o grande campeão, e o 5° Match, Los Roices Cobre, com avaliação de Julio Lopez, também criador da raça. Participaram das avaliações 17 cães de 12 canis, que foram julgados pela sua estrutura, dinâmica e temperamento.
Já a raça Buldogue Campeiro participou da sua primeira exposição especializada, que busca encontrar o animal com mais características do padrão estabelecido. O campeão foi Yuri Molosso di Jerivá, da propriedade Reis do Campo, também avaliado pela arbitra Clarice Oliveira. E o 4° Match na Expointer, avaliado por Christian Sant'Ana, teve como melhor da raça Anita do Cãodomínio. Foram 24 participantes de 15 canis do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.
Adestramento
Também durante o domingo, dezenas de cãezinhos da Dog Scholl realizaram uma apresentação de adestramento com provas de obstáculos e equilíbrio. A Dog Scholl é uma escola de adestramento com mais de 15 anos de atuação na capital, com supervisão do adestrador Ivan Brizola, e sempre realiza apresentações com alunos e seus respectivos animais, que mostram como o envolvimento com seu cão pode dar resultados.

Texto e edição: Imprensa Expointer

Expointer recebe mais de 120 mil pessoas no primeiro final de semana

Comercialização de animais ultrapassou os R$ 6 milhões




Primeiro final de semana da 38ª Expointer atraiu 121.347 pessoas ao Parque Assis Brasil | Foto: Daniela Barcellos/ Palácio Piratini/ CP

Correio do Povo

O público presente no primeiro final de semana da 38ª Expointer chegou a 121.347 pessoas. O balanço, com informações até as 18h30min deste domingo, foi divulgado pelo secretário da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo. A comercialização de animais chega a R$ 6.187.700,00, puxada pelos leilões de cavalos crioulos, que ocorrem desde quarta-feira no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. O animal mais caro comercializado neste final de semana foi a fêmea Hulha Negra da Vendramin, vendida a R$ 525 mil no leilão da Estância Vendramin, de Palmeira (PR).

A agricultura familiar aumentou suas vendas em 37,5% em comparação com 2014. Somente no sábado foram comercializados R$ 185.600,00 em produtos. No Pavilhão do Artesanato, as vendas somaram R$ 97.331,00 no sábado, totalizando 2.741 peças vendidas.

Grande movimento empolga expositores no primeiro domingo da Expointer


Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte
Um Tabapuã disparou junto ao Pavilhão dos Gado de Corte - Foto: Vilmar da Rosa/Agência Preview
Um domingo ensolarado, de temperatura agradável, levou milhares de pessoas à 38ª Expointer, no Parque Assis Brasil, em Esteio. O tempo bom empolgou os expositores e lotou os estacionamentos. Corredores cheios, famílias inteiras passeando, restaurantes e pavilhões movimentados foram a marca deste primeiro fim de semana de feira. A beleza dos animais encantou as crianças, presentes em grande número ao parque, e deixou pais, mães e familiares felizes. "Já estivemos aqui em outros anos, mas desta vez viemos para trazer o filho pela primeira vez", afirmou Altemir Silva, de Canoas, que estava acompanhado da esposa, Marla Bartz, e do pequeno Mateus, de três anos. Até mesmo a disparada inusitada de um Tabapuã junto ao Pavilhão dos Gado de Corte pode ser considarada uma atração para os visitantes.
No Pavilhão da Agricultura Familiar, um mosaico de sabores aguçava o paladar dos visitantes. Cucas, bolos, geleias, sucos, queijos, pães e salames provocavam o apetite dos frequentadores, agradando os produtores. Miriam Costa, de São Lourenço do Sul, veio a Esteio pela oitava vez para vender sucos, geléias e doces da Agroindústria Figueira do Prado e ficou impressionada com o movimento, que esgotou o seu estoque inicial de suco de bergamota. "Nestes anos todos que venho à Expointer, nunca tinha visto um movimento tão grande nos dois primeiros dias", comemorou. "Já tive que providenciar a reposição dos nossos produtos para a sequência da semana", completou a produtora. A empolgação de Miram Costa é respaldada pelos primeiros números divulgados em relaçâo às vendas do Pavilhão da Agricultura Familiar, que no primeiro dia teve um aumento de 37,5% em relação a 2014.
Nos outros pavilhões, também haviam expositores eufóricos com o movimento, com o empresário Rogério Ribeiro, de Tramandaí, que há dez anos instala uma unidade da sua "Querência das Cuias" na exposição de Esteio. "A Expointer vem crescendo a cada ano e aqui, até o momento, não se vê crise. O consumidor vem para comprar mesmo, pois está cada vez mais exigente e sabe da qualidade dos produtos aqui vendidos", afirmou o comerciante de cuias, mateiras, bombas e artesanatos em couro.
O garçom Alexandre Leal Pires, de Esteio, é outro satisfeito com o rendimento do primeiro final de semana. "Foi um domingo com muito movimento e filas nos horários de pico. É a quarta vez que trabalho aqui, passo o ano aguardando a Expointer e neste primeiro final de semana já valeu muito a pena", explicou o garçom, entre um atendimento e outro no agitado Boulevard.
Pela primeira vez na exposição, o auxiliar de capataz, José Carlos da Silva, de 30 anos, disse estar realizado. "Era um sonho vir à Expointer e é melhor do que eu esperava", falou sorridente o funcionário da Cabanha Santa Maria, de São Gabriel.
Texto: Ernani Campelo
Edição: Cristina Lac
Imprensa Expointer

Expointer leva mais de 121 mil pessoas ao Parque Assis Brasil

Sol e calor proporcionaram momentos de lazer aos visitantes
Sol e calor proporcionaram momentos de lazer aos visitantes - Foto: André Feltes/Agência Preview
O público presente no primeiro final de semana da 38ª Expointer chegou a 121.347 pessoas. O balanço, com informações até as 18h30 deste domingo (30), foi divulgado pelo secretário Agricultura e Pecuária, Ernani Polo. A comercialização de animais chega a R$ 6.187.700,00, puxada pelos leilões de cavalos Crioulos, que ocorrem desde quarta-feira no Parque de Exposições Assis Brasil. O animal mais caro foi a fêmea Hulha Negra da Vendramin, por R$ 525 mil, no leilão da Estância Vendramin, de Palmeira (PR).
A agricultura familiar aumentou suas vendas em 37,5% em comparação com 2014. Somente no sábado foram comercializados R$ 185.600,00 em produtos. No Pavilhão do Artesanato, as vendas somaram R$ 97.331,00 no sábado, totalizando 2.741 peças vendidas. 
Qualidade do leite gaúcho
Nesta terça-feira (1º), às 8h30, o secretário Ernani Polo recebe a imprensa para um café da manhã. Durante o encontro será apresentado um documento sobre a qualidade do leite no Rio Grande do Sul. O material foi produzido pela Câmara Setorial da Secretaria da Agricultura e Pecuária.
Texto: Roberta Amaral
Edição: Imprensa Expointer 

sábado, 29 de agosto de 2015

GOVERNADOR NA EXPOINTER: "Os servidores merecem uma explicação, mas hoje o assunto é Expointer", diz Sartori

Em entrevista coletiva na abertura da feira, governador foi breve ao comentar o pagamento do salário do funcionalismo
Por: Cadu Caldas, de Esteio

"Os servidores merecem uma explicação, mas hoje o assunto é Expointer", diz Sartori Fernando Gomes/Agência RBS
Sartori participou da abertura oficial da 38ª ExpointerFoto: Fernando Gomes / Agência RBS









Na manhã em que servidores estaduais tiveram a confirmação de pagamento de uma parcela de R$ 600 do salário na segunda-feira, José Ivo Sartori participou da abertura da 38ª Expointer. No parque Assis Brasil, em Esteio, o governador foi breve ao comentar o fatiamento dos vencimentos:
— Os servidores merecem uma explicação, mas hoje o assunto é Expointer — limitou-se a dizer Sartori.
O governador afirmou que, na manhã de segunda-feira, o Piratini dará explicações sobre a situação financeira no Estado à imprensa.

Este é o segundo fatiamento seguido na folha do funcionalismo gaúcho e atinge todo o quadro. O restante dos vencimentos deverá ser pago em outras três parcelas, mas o cronograma corre risco de não ser cumprido já que o Estado pode ter as contas bloqueadas novamente pela União em função do não pagamento de parcela da dívida.